Receba as atualizações do † Almas Devotas ➜ Recadastre-se

Enter your email address:

9o. Dia - Mês de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento

A Vida Interior de Maria


ORAÇÃO PREPARATÓRIA PARA TODOS OS DIAS

V).   Vinde, ó Espírito Santo, Enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor.
V).   Enviai, Senhor, o vosso espírito e tudo será criado.
R).   E renovareis a face da terra.
Oremos — Deus, que instruístes os corações de vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, concedei-nos por esse mesmo Espírito o conhecimento e o amor da justiça e fazei com que Ele nos encha sempre de suas divinas graças, pelo mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor.
R). Amen.
~ * ~ * ~ * ~
I. Maria, ornada de todos os dons, enriquecida com todas as virtudes, perfeita em todas as suas graças, aparece no entanto ao mundo sob um exterior vulgar. Seus atos nada têm de extraordinário; suas virtudes parecem comuns; sua vida transcorre no silêncio, na obscuridade, e o próprio Evangelho não a menciona. É porque Maria deve ser o modelo da vida oculta em Deus com Jesus Cristo que nós devemos honrar e retraçar fielmente em nossa conduta, pois desejo vos mostrar como a lei da santidade que Deus segue em nossas almas é a mesma que seguiu em Maria.
Ora, a Igreja canta de Maria: "Toda a glória da filha do rei está no seu interior." Tal é o caráter da santidade de Nossa Senhora: nada de exterior nem de ostensivo; tudo para Deus e somente d'Ele conhecido. E, entretanto foi Ela a mais santa e a mais perfeita das criaturas, e amada por Deus acima de todas, deve ter recebido de sua bondade as graças mais abundantes e inestimáveis, e os mais excelentes dons. O Pai Eterno lhe concedeu todas as virtudes de mãe; o Filho, todas as graças da Redenção; o Espírito Santo, todas as graças do amor. Contudo, Maria levou uma vida comum, oculta e desconhecida. Que concluir disto senão que este estado de vida retirada e interior é o mais perfeito? A vida exterior, mesmo quando dedicada a Deus é menos perfeita. Foi por isso também que Nosso Senhor se ocultou mais do que se manifestou, e os santos todos são formados por esse molde, porquanto, para ser amigo de Deus é preciso ser pulverizado e reduzido a nada, é preciso aniquilar-se como Jesus e Maria.

II. Donde, concluindo, vos digo: — Quereis ser santos? Tornai-vos interiores. Sois a isto obrigados por vossa vocação adoradora; como pretendeis orar sem este espírito interior? Se não podeis passar um instante sem livro na presença de Nosso Senhor, se nada Lhe sabeis dizer de vosso coração, que vindes fazer aos seus pés? Que tristeza, nunca falar por si mesmo e andar sempre pedindo emprestado pensamentos e palavras dos outros!
Oh! trabalhai para vos tornardes interiores. Não é possível, de certo, ser tanto quanto Jesus e Maria, porém cada qual poderá conseguir o grau que lhe proporcionam sua graça e sua virtude. Sem isto jamais recebereis consolações nem incentivo, e vos sentireis infelizes na adoração.
Para ser adorador é necessário ser interior, saber conversar no genuflexório, consultar Nosso Senhor e esperar sua resposta; é preciso, em resumo, gozar de Deus. Devemos nos sentir felizes em sua companhia, felizes em seu serviço; precisamos gozar de sua intimidade tão suave e tão animadora! Mas, para atingir o Coração e o amor de Jesus, é mister que a alma seja interior. E o que é isto, afinal? É amar bastante, de modo a poder conversar e viver com Jesus; porém não se faz Ele ouvir pelos nossos ouvidos naturais, nem se deixa ver pelos nossos olhos do corpo; fala somente à alma recolhida. Jesus no Santíssimo Sacramento é todo interior; não penetra mais os corações com o seu olhar como durante sua vida mortal, vai diretamente à alma para lhe falar em segredo. Quando vossa alma não se expande em sua presença é porque Ele não atua sobre ela; existe algum obstáculo entre ela e Jesus.
Ah! que não deixe de ser verdadeira a palavra de Nosso Senhor. Disse Ele que seu jugo é suave e o seu fardo leve; mas isto somente para quem vive de oração e de vida interior; do contrário, tornar-se-á pesado e enfadonho. Quando não somos interiores, tudo se ressente em nossa vida. Oh! como eu desejaria que se cumprisse em vós esta sentença tão perfeitamente realizada na Santíssima Virgem: "O reino de Deus está dentro de vós", reino de virtudes, de amor e de graças interiores, pelo qual começareis a ser adoradores e santos!
A erva dos campos morre todos os anos porque não tem raízes profundas, mas o carvalho, a oliveira e o cedro não morrem, porque as suas raízes penetram o seio da terra. Para perseverar, para ser forte, é mister descer até o fundo de si mesmo, cavar até atingir o próprio nada; é aí que se encontra Jesus, que também se aniquilou: exinanivit. E foi também aí que Maria O encontrou. Oh! que esta perfeita mãe da vida interior vos faça viver, a seu exemplo, em Jesus, e n'Ele permanecer eternamente.

~ * ~ * ~ * ~

Maria Medianeira junto a Jesus Eucaristia

Um piedoso frade da Ordem de São Francisco foi assaltado, na época em que devia pronunciar os votos, por uma violenta tentação de voltar ao século. Temia se tornar infiel a esse compromisso solene e, portanto, decidiu-se a deixar o hábito na véspera da profissão. Antes de sair, entrou na Igreja do Convento, e ajoelhando-se diante do Tabernáculo encimado por uma estátua da Santíssima Virgem, pediu ingenuamente a Jesus e Maria que lhe dessem a permissão de partir. Ó prodígio! Maria desce do seu trono e abre o santo Cibório, de onde sai um belo e encantador menino! E a Virgem se lançando aos pés de seu divino Filho, diz numa voz suplicante: "Meu querido Filho, tem piedade de nosso pobre servo!" E o Senhor pergunta: "Que desejais que eu faça, minha Mãe, se ele não quer ficar comigo?!" E a Mãe Santíssima, cheia de misericórdia responde: "Meu Filho, tem piedade dele concedendo-lhe a graça de ficar conosco." O Menino Jesus levantando então o braço, abençoa o frade e promete a Maria que, em atenção aos seus rogos, jamais abandonará esse pobre religioso.
Mal terminou de falar, Jesus voltou ao seu Cibório e, desaparecendo, deixou o bom frade cheio de força e de consolação.
(Nicolau Laghi da Lugano, Miracoli del Santissimo Sagramento, trat. I, c. LXXI.)

PRÁTICA — À Imitação de Maria, viver do recolhimento e união a Jesus presente em nós.

JACULATÓRIA — Ó Maria, verdadeira filha do Grande Rei, toda a vossa glória está no vosso interior, porque aí reside Jesus!

~ * ~ * ~ * ~

Oração Final

Ó Virgem Imaculada, Nossa Senhora do SSmo. Sacramento, que durante os anos que vivestes depois da Ascensão, fostes modelo perfeito de serviço à Divina Eucaristia: Vós que passáveis diante de Jesus Sacramentado os dias e as noites, consolando-vos assim no exílio, ensinai-nos a avaliar o tesouro que possuímos no Altar e inspirai-nos visitar frequentemente o SSmo. Sacramento no qual Jesus fica conosco para dirigir-nos, consolar-nos, proteger-nos e receber em troca as homenagens que Lhe são devidas por tantos títulos.
Ó Mãe cheia de bondade e Modelo admirável dos adoradores da Eucaristia, já que sois a Medianeira das graças do Altíssimo, concedei-nos como fruto deste piedoso exercício, as virtudes que, tornando-nos menos indignos do serviço de vosso Divino Filho, obter-nos-ão a vida eterna.  Assim seja.
Nossa Senhora do SSmo. Sacramento, rogai por Nós.


__________


Excertos do livro: Mês de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento extraídas dos escritos do Bem-Aventurado(*) Pedro Julião Eymard, o fundador da Congregação do Santíssimo Sacramento, 1946
(*) Sua canonização se deu em dezembro de 1962