Receba as atualizações do † Almas Devotas ➜ Recadastre-se

Enter your email address:

Preparação para o Mês de Maio



MÊS DE NOSSA SENHORA DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO
MEDITAÇÕES EXTRAÍDAS DOS ESCRITOS
do
BEM-AVENTURADO PEDRO JULIAO EYMARD(*)
Fundador
DA CONGREGAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO
pelo
Revmo. Pe. ALBERTO TESNIÈRE
DA MESMA CONGREGAÇÃO
Com um exemplo, uma prática e uma jaculatória
para cada dia.
 Tradução do Francês
por uma adoradora
Livro de 1946 - 160 págs

(*) Nota do blog: Bem-Aventurado pois o livro é de 1946, 
sua canonização foi realizada em dezembro de 1962
pelo então Papa João XXIII




PREFÁCIO
da Sétima Edição Francesa

Transcrevemos, como prefácio desta nova edição, um artigo publicado na revista "O Santíssimo Sacramento" em janeiro de 1906; mostrar-nos-á ele que poderoso incentivo à devoção para com Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento recebeu do Soberano Pontífice, e a preciosa sanção concedida à iniciativa do Bem-aventurado Pedro Julião Eymard, de conferir este novo título à Santíssima Virgem.
"É conhecido de nossos leitores o culto piedoso com que a família eucarística do venerando Padre Eymard honra este nome bendito de NOSSA SENHORA DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO, que ele conferiu à Santíssima Virgem para exprimir, numa palavra característica, todos os laços que unem Maria a seu Filho Sacramentado, e todos os motivos que nos impelem a recorrer-lhe como medianeira necessária entre nossa indigência e a admirável santidade de seu Filho. Aprovado por um certo número de Bispos e enriquecido de indulgência para suas respectivas dioceses, aclamado no Congresso Eucarístico de Lourdes, este novo nome de uma coisa muito antiga começou a se propagar entre as almas devotas da Eucaristia, que sentem a necessidade de não separar o Filho de sua Mãe, tanto no culto que lhes prestam como em seus corações. Faltava porém a este título, afim de que pudesse desferir seu voo além dos limites diocesanos e se propagar livremente no universo católico, a bênção do Pastor da Igreja universal.
E esta bênção ele recebe agora: autêntica, como no-lo prova o Rescrito que temos em nossas mãos e que vamos transcrever; espontaneamente concedida, como nos informa uma carta bem noticiosa chegada de Roma.
Eis o Rescrito, do próprio punho de Sua Santidade Pio X:

"Cunctis qui coram SSmo. Sacramento publicae adorationi exposito, recitaverint hanc jaculatoriam:
"Domina nostra Sanctissimi Sacramenti, ora pro nobis". Indulgentiam tercentorum dierum concedimus".

Die 30 Mensis Decembris an. 1905. PIUS P. P. X.

"A todos que diante do Santíssimo Sacramento exposto recitarem a oração jaculatória seguinte:
"Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento rogai por nós”, concedemos uma indulgência de 300 dias".

30 de Dezembro de 1905, PIO X, PAPA.

As circunstâncias que acompanharam a redação e a concessão, pelo Santo Padre, desse precioso Rescrito, têm alguma coisa de gracioso e de tocante como uma página de lenda, alguma coisa também de espontâneo e de decisivo como um motu próprio.
Um arcebispo do Canadá, cuja piedade para com a Eucaristia é tão grande quanto a sua cordialidade, Mons. Gauthier, arcebispo de Kingston, visitando, há pouco tempo, Roma, foi solicitado pelo Revmo. Padre Estévenon, Superior geral da Congregação do Santíssimo Sacramento, cuja residência, na Igreja de São Cláudio, é bem conhecida dos peregrinos da Cidade Eterna, a pedir ao Soberano Pontífice, em favor dos fiéis de sua diocese, uma Indulgência para a recitação desta fórmula: NOSSA SENHORA DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO, Mãe o Modelo dos adoradores, rogai por nós. Sua Excelência, acolhendo favoravelmente este desejo, redigiu uma súplica para submeter ao Santo Padre numa audiência fixada para 30 de dezembro último. No decorrer da audiência, tendo recebido o consentimento para fazer a leitura da referida súplica, em vão a procura nos seus bolsos e manda procurá-la, com igual resultado, em seu sobretudo, deixado na antecâmara. Grande embaraço para o bondoso Prelado, que expõe então de viva voz o objeto da súplica extraviada; e Pio X, sorridente e solicito, com a espontaneidade atenciosa e amável que lhe é peculiar, toma da pena e escreve, sem um instante de hesitação, o texto acima transcrito, entregando-o a Mons. Gauthier, que se sentiu duplamente sensibilizado: pela graça que acabava de receber e pela boa vontade com que lhe era a mesma concedida.
O mui caro correspondente que nos relatou este acontecimento, acrescenta: "Bem avaliais a imensa alegria que esta noticia causou a todos nós. Exultantes de emoção, fomos imediatamente nos lançar aos pés da Santíssima Virgem (diante da mesma imagem da capela de São Mauricio (1) onde nosso venerando Pai aclamou Maria pela primeira vez.
Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento), e entoamos o Magnificat, e repetimos com ardor a invocação abençoada".
Nossos leitores partilharão conosco estes sentimentos de ação de graças. Temos, de ora avante, na linguagem da Igreja, uma fórmula autêntica e definitiva do título de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento que o Padre Eymard exprimiu em francês.
Várias vezes havíamos desejado traduzi-lo em latim, não somente para apresentá-lo à aprovação de Bispos estrangeiros, mas tendo ainda em vista obter dos Soberanos Pontífices indulgências para a sua recitação. E hesitávamos em fazer a tradução litoral diante da objeção de que a palavra "Domina" parecia dar a Maria, sobre o Cristo Eucarístico, uma autoridade
ou superioridade que ela não possui. A objeção, entretanto, apesar de não ser destituída inteiramente de fundamento, não se apresentava irrefutável. A fé, simples e terna, do Soberano Pontífice, a generosa e ardente piedade que ele manifesta em todos os seus atos pontificais, não o detiveram a discutir as diversas opiniões; com sua mão que somente assina palavras de verdade e de vida, escreveu com simplicidade: "Domina nostra Sanctissimi Sacramenti, ora pro nobis.'" E a tradução literal da invocação inspirada pela fé e pelo amor de nosso Pai por Maria: "Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, rogai por nós!"

__________
(1) Casa do primeiro Noviciado da Congregação, na diocese de Versailles, fundada e habitado pelo Beato Padre Eymard e extinta em consequência dos decretos de 1880 contra as Congregações religiosas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário